Serviços

As tecnologias da fala têm um forte impacto na área dos serviços nas mais diversas actividades. Nesse sentido, a VoiceInteraction tem procurado criar soluções para as desenvolver e aperfeiçoar. Apresentamos aqui alguns exemplos.

Call Centers

As empresas apostam cada vez mais em sistemas self-service, havendo a necessidade de recorrer a Plataformas Interactivas de Voz (IVR), para uma interacção natural com os clientes. Assim, no lugar de um operador humano a percorrer um menu operacional, temos um sistema automático que realiza questões e aceita respostas. O sistema IVR é mais eficiente, mais robusto a falhas e com um custo menor para o operador e consiste numa plataforma de diálogo direccionada para domínios específicos, como serviços de banca telefónica, corretagem, atendimento automático, etc.

Congressos e Escolas

Estas áreas, apesar de diferentes, apresentam o mesmo tipo de necessidades relacionadas com a legendagem e a indexação de conteúdos multimédia. No caso dos congressos, estão a ser aplicados sistemas de legendagem que mostram a informação nas salas exteriores aos auditórios, estando igualmente disponíveis no seu interior, e que permitem, posteriormente, o acesso através de pesquisa de conteúdos. No caso das escolas, permitem criar verdadeiros documentos multimédia com vídeo, acetatos, notas e textos de apoio. Aqui, a transcrição da fala torna-se fundamental ao permitir que, através de pesquisas avançadas, se aceda aos conteúdos, sincronizando os vários meios de informação.

As tecnologias utilizadas em qualquer uma destas áreas são do domínio do reconhecimento da fala, concretamente o sistema AUDIMUS.

Clínicas e Médicos

O processo médico deve ser realizado de uma forma eficiente e simples para os seus agentes. Apesar de toda a informatização dos serviços, existem algumas situações em que sistemas como o VoxControl, para ditado de relatórios, por exemplo, podem constituir uma ajuda valiosa. Se juntarmos a esta funcionalidade interfaces de fala que permitam navegar nas aplicações informáticas, obtemos aplicações mais eficientes e acessíveis de forma natural.

No caso de alguns actos médicos, onde as mãos estão ocupadas na interacção com o doente, este tipo de interface pode ser vital.